Capitulo 8


1 E, havendo aberto o sétimo selo, fez-se silêncio no céu quase por meia hora.
2 E vi os sete anjos, que estavam diante de Deus, e foram-lhes dadas sete trombetas.
3 E veio outro anjo, e pôs-se junto ao altar, tendo um incensário de ouro; e foi-lhe dado muito incenso, para o por com as orações de todos os santos sobre o altar de ouro, que está diante do trono.
4 E a fumaça do incenso subiu com as orações dos santos desde a mão do anjo até diante de Deus.
5 E o anjo tomou o incensário, e o encheu do fogo do altar, e o lançou sobre a terra; e houve depois vozes, e trovões, e relâmpagos e terremotos.
6 E os sete anjos, que tinham as sete trombetas, prepararam-se para tocá-las.
7 E o primeiro anjo tocou a sua trombeta, e houve saraiva e fogo misturado com sangue, e foram lançados na terra, que foi queimada na sua terça parte; queimou-se a terça parte das árvores, e toda a erva verde foi queimada.
8 E o segundo anjo tocou a trombeta; e foi lançada no mar uma coisa como um grande monte ardendo em fogo, e tornou-se em sangue a terça parte do mar.
9 E morreu a terça parte das criaturas que tinham vida no mar; e perdeu-se a terça parte das naus.
10 E o terceiro anjo tocou a sua trombeta, e caiu do céu uma grande estrela ardendo como uma tocha, e caiu sobre a terça parte dos rios, e sobre as fontes das águas.
11 E o nome da estrela era Absinto, e a terça parte das águas tornou-se em absinto, e muitos homens morreram das águas, porque se tornaram amargas.
12 E o quarto anjo tocou a sua trombeta, e foi ferida a terça parte do sol, e a terça parte da lua, e a terça parte das estrelas; para que a terça parte deles se escurecesse, e a terça parte do dia não brilhasse, e semelhantemente a noite.
13 E olhei, e ouvi um anjo voar pelo meio do céu, dizendo com grande voz: Ai! ai! ai! dos que habitam sobre a terra por causa das outras vozes das trombetas dos três anjos que hão de ainda tocar”.

E havendo aberto o sétimo selo, fez-se silêncio no céu por quase meia hora – João não explica a razão do silêncio. É curioso que tudo o que ocorre na terra é antes determinado no céu.
E vi os sete anjos, que estavam diante de Deus, e foram-lhes dadas sete trombetas – As trombetas não pertencem a esses anjos, tendo em vista que elas foram-lhes dadas por alguém superior. A autorização para dar-lhes, sem dúvida, partiu do justo juiz.
E veio outro anjo, e pôs-se junto ao altar, tendo um incensário de ouro – Trata-se de um anjo sacerdotal. E foi-lhe dado muito incenso – Cada anjo tem uma função no serviço do altar. Para o pôr com as orações de todos os santos sobre o altar de ouro que está diante do trono - A fumaça do incenso sobe literalmente com as orações dos santos como um bom perfume às narinas de Deus! O incenso é um pó aromático.
E o anjo tomou o incensário, e o encheu do fogo do altar, e o lançou sobre a terra – Note que João viu o incensário, o incenso, o fogo e o altar. São itens reais e palpáveis. O anjo sacerdotal mescla o incenso às orações dos santos a fim de chegarem perfumosas até Deus! Alguns acreditam que este anjo é o próprio Jesus, visto que nenhum anjo aparece na bíblia exercendo tal função, apenas homens. Ou pode ser também um homem remido. E houve depois vozes (estrondos), e trovões, e relâmpagos, e terremotos – O verso 5 do capítulo 4  traz esta mesma imagem, mas aqui houve um acréscimo – o terremoto. Note o seguinte: em 4:5, tais fragores e relâmpagos saem do trono. No texto presente, quando o anjo lança o fogo , ocorrem os mesmos fenômenos, mas na terra, e ainda se acrescenta o terremoto. De fato, é uma preparação e prenúncio para o castigo das sete trombetas. Prepare-se terra!
E os sete anjos, que tinham as sete trombetas, prepararam-se para tocá-las – Eles só aguardavam o anjo sacerdotal fazer a queima do perfume com as orações. Os pedidos de vingança debaixo do altar (6:9,10), bem como de outros, serão ainda atendidos até ao final dos últimos três anos e meio da Grande Tribulação e culminará no “sacrifício” do Armagedom.
E o primeiro anjo tocou a sua trombeta, e houve saraiva (granizo) e fogo misturado com sangue São acontecimentos literais. Ao soar da primeira trombeta sangue e fogo descem do céu para atingir a terra. O sangue é uma forma de lembrar, condenar e retribuir aos que derramaram o sangue dos servos de Deus. E foram lançados na terra, que foi queimada na sua terça parte – Um terço das florestas e de toda erva verde foi queimado numa região determinada.
E o segundo anjo tocou a sua trombeta; e foi lançada no mar uma coisa como um monte ardendo em fogo – Um meteoro. E tornou-se em sangue a terça parte do mar – Como ocorreu no Egito (Êx 9:22-26), vai ocorrer também a conversão do mar em sangue. Este mar é o Mediterrâneo, o qual fará parte do reino da besta. E morreu a terça parte das criaturas que tinham vida no mar; e perdeu-se a terça parte das naus - A água vai perder suas propriedades naturais e, como resultado, os seres marinhos vão expirar. Os navios serão destruídos devido ao impacto da queda do meteoro!
E o terceiro anjo tocaram a sua trombeta, e caiu do céu uma grande estrela, ardendo como uma tocha, e caiu sobre a terça parte dos rios e sobre as fontes das águas - Até este verso nota-se que as maldições lançadas atingem apenas a natureza. E o nome da estrela era Absinto, e a terça parte das águas tornou-se em absinto, e muitos homens morreram das águas porque se tornaram amargas – O meteoro caído do céu envenenou às águas doces e matou muitos homens (talvez milhares). Absinto é uma planta aromática e amarga. Eis a razão por que a estrela cadente se chama assim. Ao soar da terceira trombeta os homens são atingidos indiretamente. Fica óbvio que tal estrela parece se fragmentar no atrito com a atmosfera e atingir os rios e as fontes de várias partes. Tudo de modo sobrenatural.
E o quarto anjo tocou a sua trombeta, e um terço do sol, da lua e das estrelas foi ferido para que se escurecesse – Esse castigo não é sentido no mundo inteiro. Ele será mais intenso no Meio Oriente onde atuará o Anticristo. Todos os países que estiverem sob a luz do dia serão castigados com uma grande escuridão. E durante a noite não verão o brilho da lua e das estrelas. Mesmo no decorrer do dia isso vai ocasionar sérios problemas aos povos; basta imaginar o perigo para as aeronaves, para os veículos e embarcações. Sem falar das indústrias em funcionamento, apesar de suas luzes artificiais. Pense na preocupação e desespero das pessoas! Talvez o que para uns pareça simplesmente um eclipse, para outros, trevas e pavor.  No Egito ocorreu algo semelhante (Cp. Êx 10:21-23).
Vale lembrar que os 144 mil judeus assinalados (7:1-8) não são afetados por nenhum dos juízos das primeiras quatro trombetas. Os que as tocam são os mesmos anjos que detêm os quatro ventos (ventos de julgamento) e que viram os judeus salvos sendo assinalados com o selo de Adonai (7:1). Confira os seguintes textos (Êx 9:26 e 10:23).
E olhei, e ouvi um anjo voar pelo meio do céu, dizendo com grande voz: Ai! Ai! Ai dos que habitam sobre a terra, por causa das outras vozes das trombetas dos três anjos que hão de ainda tocar! – Não é um querubim, mas mesmo assim voa sem asas pelo espaço. Ele anuncia o quão doloroso será para os homens o soar das últimas trombetas!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Adsensse