Capítulo 12


1 E viu-se um grande sinal no céu: uma mulher vestida do sol, tendo a lua debaixo dos seus pés, e uma coroa de doze estrelas sobre a sua cabeça.
2 E estava grávida, e com dores de parto, e gritava com ânsias de dar à luz.
3 E viu-se outro sinal no céu; e eis que era um grande dragão vermelho, que tinha sete cabeças e dez chifres, e sobre as suas cabeças sete diademas.
4 E a sua cauda levou após si a terça parte das estrelas do céu, e lançou-as sobre a terra; e o dragão parou diante da mulher que havia de dar à luz, para que, dando ela à luz, lhe tragasse o filho.
5 E deu à luz um filho homem que há de reger todas as nações com vara de ferro; e o seu filho foi arrebatado para Deus e para o seu trono.
6 E a mulher fugiu para o deserto, onde já tinha lugar preparado por Deus, para que ali fosse alimentada durante mil duzentos e sessenta dias.
7 E houve batalha no céu; Miguel e os seus anjos batalhavam contra o dragão, e batalhavam o dragão e os seus anjos;
8 Mas não prevaleceram, nem mais o seu lugar se achou nos céus.
9 E foi precipitado o grande dragão, a antiga serpente, chamada o Diabo, e Satanás, que engana todo o mundo; ele foi precipitado na terra, e os seus anjos foram lançados com ele.
10 E ouvi uma grande voz no céu, que dizia: Agora é chegada a salvação, e a força, e o reino do nosso Deus, e o poder do seu Cristo; porque já o acusador de nossos irmãos é derrubado, o qual diante do nosso Deus os acusava de dia e de noite.
11 E eles o venceram pelo sangue do Cordeiro e pela palavra do seu testemunho; e não amaram as suas vidas até à morte.
12 Por isso alegrai-vos, ó céus, e vós que neles habitais. Ai dos que habitam na terra e no mar; porque o diabo desceu a vós, e tem grande ira, sabendo que já tem pouco tempo.
13 E, quando o dragão viu que fora lançado na terra, perseguiu a mulher que dera à luz o filho homem.
14 E foram dadas à mulher duas asas de grande águia, para que voasse para o deserto, ao seu lugar, onde é sustentada por um tempo, e tempos, e metade de um tempo, fora da vista da serpente.
15 E a serpente lançou da sua boca, atrás da mulher, água como um rio, para que pela corrente a fizesse arrebatar.
16 E a terra ajudou a mulher; e a terra abriu a sua boca, e tragou o rio que o dragão lançara da sua boca.
17 E o dragão irou-se contra a mulher, e foi fazer guerra ao remanescente da sua semente, os que guardam os mandamentos de Deus, e têm o testemunho de Jesus Cristo.

  E viu-se outro grande sinal no céu: uma mulher vestida do sol – Esta mulher é a nação de Israel que se formou desde 1948. João se refere a uma nação estabelecida tal como é conhecida hoje. No segundo advento do Messias todos os judeus dispersos serão reunidos na Terra da Promessa (Is 11.10-12).  O sol é um símbolo da glória da nação israelense nos últimos dias. Tendo a lua debaixo de seus pés – pode se referir ao seu poder econômico e militar. Muitos países não têm a mesma força soberana de Israel e nem terão naqueles dias. E uma coroa de doze estrelas na sua cabeça – As doze tribos judaicas atingirão o seu maior apogeu militar e econômico; possivelmente por causa do acordo de sete anos que os judeus farão com os árabes e seu líder máximo: o anticristo Madhi.
   E estava grávida, e com dores de parto, e gritava com ânsias de dar á luz – A concepção da “mulher” refere-se aos 144 mil judeus que nascerão espiritualmente para Cristo na primeira metade de tribulação.
E viu-se outro sinal no céu , e eis que era um grande dragão vermelho, que tinha sete cabeças e dez chifres , e sobre as suas cabeças sete diademas – Trata-se de satanás que governou sete impérios antes da ascensão do Anticristo. Os dez chifres (a sétima cabeça ou o sétimo império) são dez reinos que passarão depois ao Anticristo o seu poder e autoridade. Assim o mesmo comandará os dez reinos que formarão o oitavo império. 
   E a sua cauda levou após si a terça parte das estrelas do céu e lançou-as sobre a terra – São anjos malignos que estão estabelecidos nas regiões celestiais (Ef 6.12), os quais são forçados pelo diabo a virem para perseguir os 144 mil judeus convertidos a Cristo. Nada tem a ver com a rebelião antes de Adão. Esse texto não dá base alguma para alguém afirmar que Lúcifer enganou um terço dos anjos de Deus no céu, por duas razões:
 1.    João vê e descreve o futuro e não o passado.
 2.    Foi arrastado um terço dos anjos malignos e não de anjos bons.      
   Aliás, somente uma terça parte deles foi lançada na terra, enquanto outros continuam nas regiões celestes. Logo depois, João descreve uma batalha no céu do arcanjo Miguel contra o dragão e os seus anjos (v.7). Possivelmente Miguel se aproveita da oportunidade em que o diabo toma uma terça parte de seus anjos, e os lança na terra para a perseguição contra os judeus. Na volta ele é surpreendido, resistido e derrotado pelo arcanjo de Deus e seu exército (cf.12:8-9), ou retorna ao céu para ajudar os seus anjos que já estão lutando contra Miguel.
   Um erro teológico cometido sempre é dizer que satanás está no paraíso e será derrubado de lá e a igreja ocupará o seu lugar. Esse é o motivo de sua fúria também. Equívoco! Espíritos imundos e rebeldes não entram no paraíso por nenhum motivo. O céu no qual alguns deles estão é fora da cidade celestial – a nova Jerusalém (cf.21:27) e não lá dentro.
Quando Paulo fala de regiões ou lugares celestiais, quer dizer que eles estão espalhados nas alturas e nos ares. Note a expressão: “Príncipe da potestade do ar” (Ef 2:2). É certo, então, que os príncipes estão em lugares mais altos que outros espíritos por se tratar de um reino. Observe que o apóstolo, inclusive, lista as classes superiores e depois as inferiores. Muitos com aparência de gafanhotos estão presos no abismo (cf. 9:3); Mais de 200 milhões de cavaleiros e cavalos demoníacos serão revelados na Grande Tribulação (cf. 9:16); inúmeros agem na vida de pessoas em várias partes do mundo (Mc 5:9). Sem falar dos que atuam nas regiões infernais.  Portanto, a bíblia não cita um número exato de anjos que se rebelaram com Lúcifer.  O que acha o amigo (a) leitor? O reino satânico é pequeno? Mesmo assim Jesus os venceu na cruz!
   E o dragão parou diante da mulher que havia de dar a luz, para que, dando ela à luz, lhe tragasse o filho - Ele parou perto da mulher porque começa a perseguir o “filho” que havia de nascer ou os 144 mil judeus que receberam ao senhor Jesus ainda na primeira metade da tribulação. Em verdade ele usará o Anticristo para seus propósitos malévolos.
   E deu à luz um filho – Os 144 mil judeus.  Um varão que há de reger todas as nações com vara de ferro – Os 144 mil judeus que receberem a Cristo Jesus reinarão com ele e com muita autoridade. É promessa do próprio Yeshua (2:26-27). Tal promessa foi feita aos patriarcas e profetas da antiguidade, no entanto, terão primeiro de se submeter ao filho de Deus e confessar o seu nome até ao fim de suas vidas. E o seu filho foi arrebatado para Deus e para o seu trono – O filho varão (144 mil judeus) da mulher (Israel) foi arrebatado para o trono de Deus para que não fosse destruído pela besta e seus reino. O texto em questão prova que haverá mais de um arrebatamento.
  E a mulher fugiu para o deserto, onde já tinha lugar preparado por Deus, para que fosse alimentada durante mil duzentos e sessenta dias – A mulher - Israel teve de fugir do dragão para o deserto. É possível que o Anticristo fique furioso por causa dos primeiros judeus que se converterão em massa a Cristo e se recusarão adorar a ele e à sua imagem. O problema para satanás foi sempre o senhor Jesus! Como os 144 mil foram arrebatados, muitos judeus também se converterão deixando o diabo ainda mais furioso a ponto de perseguir todo o Israel. O deserto referido por João será a antiga Petra que fica na Jordânia (Is 16:1-5). Note que é mencionado outra vez o mesmo período de tempo para o sustento de milhares de judeus naquele lugar; ou seja: os últimos três anos e meio de angústia para Israel. Enquanto este e outros acontecimentos de desdobram, as duas testemunhas estarão convidando ao arrependimento os que ainda não receberam a marca da besta – tanto judeus como gentios.
   E houve batalha no céu: Miguel e os seus anjos batalhavam contra o dragão; e batalhava o dragão e os seus anjos – Não é o céu-paraíso, mas as regiões celestiais ocupadas pelos seres angelicais malignos. Mas não prevaleceram, nem mais o seu lugar se achou nos céus. E foi precipitado o dragão, a antiga serpente, chamada o diabo e satanás, que engano todo o mundo; ele foi precipitado na terra, e os seus anjos foram lançados com ele Se ele enganava e destruía a partir das alturas, imagine agora estando na terra! Alguns dizem que quando o diabo foi lançado do céu com um terço de seus anjos durante a sua rebelião, a terra foi atingida e destruída a ponto de ficar coberta pelas águas e então ficou sem forma e vazia (Gn 1:2). No entanto, devem explicar por que então não ocorre o mesmo após a batalha com o Arcanjo Miguel no texto e questão. Não se pode mesclar o físico com o espiritual! Tantos lugares e abismos para atirar o anjo rebelde com os seus anjos e o Criador escolheu justamente a Terra?
Saiba amigo (a) leitor: antes da formação da terra (Gn 1.2), Deus teve menos trabalho para lançar o rebelde anjo e seus anjos para baixo do que o arcanjo Miguel no futuro. Por isso Jesus disse que o viu como um raio cair do céu!
   A ideia que alguns teólogos passam é a de um Deus fraco, irresponsável e desesperado, que após a loucura de seus anjos, os lançou aleatoriamente em qualquer lugar e atingiu a terra destruindo-a! É mais sensato acreditar que ele foi forçado a descer ao abismo (Is 14:13-15). Os anjos enganados por Lúcifer que estão soltos se tornaram malignos e vingativos como ele, mas outros estão presos (9:1-2,14 e 15) Mas aqueles aos quais Judas se refere onde muitos de seus seguidores foram acorrentados na escuridão (Jd 1:6), são anjos caídos e bons que Deus resolveu prendê-los nas trevas. Segundo Enoque eles pedem misericórdia sempre e serão julgados no dia do juízo. É como se o justo juíz dissesse: “Vocês não se contentaram com a posição de principado e o lugar de luz em que eu os coloquei, então ficarão aprisionados e esquecidos nas trevas para sempre!”.
   E ouvi uma grande voz no céu, que dizia: Agora chegada está a salvação, e a força, e o reino do nosso Deus, e o poder do seu Cristo; porque já o acusador dos nossos irmãos é derribado, o qual diante do nosso Deus os acusava de dia e de noite – A acusação do enganador diante de Deus não quer dizer que ele tem acesso ao paraíso, onde Deus está, pois nenhum mentiroso entrará ali (21:27).
Após a queda do dragão (diabo) uma voz anuncia a salvação e o reino de Deus sobre a humanidade. Mas há uma antecipação aqui, já que os reinos do mundo passarão a seu filho Yeshua (Jesus) após o massacre no Armagedom.
   E eles o venceram pelo sangue do Cordeiro A fé na obra expiatória de Cristo é o motivo pelo qual todos os crentes na Grande Tribulação vencerão o pecado, o mundo e o diabo; haja vista que o sangue de Jesus nunca perderá o seu poder. E pela palavra do seu testemunho – O testemunho sobre Jesus e sua obra na cruz os ajudará vencer as acusações, mentiras e perseguições do adversário (6:16-17).  E não amaram as suas vidas até a morte Não negaram ao senhor Yeshua até o último momento de suas vidas, ainda que tal decisão os levasse à pena de morte.
   Pelo que alegrai - vos, ó céus, e vós os que nele habitais – Existem, de fato, moradas no céu.  Ai dos que habitam na terra e no mar! Porque o diabo desceu a vós e tem grande ira – Este verso anuncia o terceiro “ai” após o soar da sétima trombeta. Sabendo que lhe resta pouco tempo – Após a sua queda ele terá 3,5 anos para agir e depois será preso no abismo por um anjo até o fim do reino milenar do Messias (20.1-3; 20.7).
   E, quando o dragão viu que fora lançado na terra, perseguiu a mulher que dera à luz o varão – Após a queda de satanás e de seus anjos, Israel será duramente perseguido pelo Anticristo que será o seu instrumento. O diabo viu que o filho varão ou os 144 mil judeus aceitaram a Cristo e fica furioso, pois sabe que a redenção final de todos os judeus sobreviventes estará próxima.
   E foram dadas à mulher duas asas de grande águia – Rapidamente os judeus se deslocarão para a Petra, na Jordânia, devido à perseguição dos exércitos do Anticristo. Para que voasse para o deserto, ao seu lugar, onde é sustentada por um tempo, e tempos, e metade de um tempo – milhares de judeus (não todos) serão protegidos no deserto durante 3,5 anos. Fora da vista da serpente – Prova que o reino da besta será limitado e não conquistará certos países do Médio Oriente. Aliás, embora seu império seja grande e poderoso, ela tem apenas dez reinos a serviço de satanás e não mais que isso (12:3; 13:1).
   E a serpente lançou da sua boca, atrás da mulher, água como um rio, para que pela corrente a fizesse arrebatar – A serpente (diabo) incitará o exército do Anticristo a destruir aos judeus.
  E a terra ajudou a mulher; e a terra abriu a sua boca e tragou o rio que o dragão lançara da sua boca – Alguns acreditam que Deus dará livramento aos judeus com um terremoto ou fará que a terra se abra e destrua os exércitos da besta tal como ocorreu com Corá, Datã, Abirão e os seus seguidores (Nm 16:29-35).
  E o dragão irou-se contra a mulher e foi  fazer guerra contra o resto da sua semente, os que guardam os mandamentos de Deus e têm o testemunho de Jesus Cristo – Vale notar que milhares de judeus procurarão abrigo no deserto, mas existem outros que também entregaram-se a Cristo e estarão em outros lugares no reino da besta. Esse restante de judeus igualmente será perseguido por crer na mensagem de Cristo que os 144 mil judeus pregavam. É possível que eles só se convertam após o desaparecimento dos 144 mil judeus assinalados (12:5).
  As religiões verdadeiras sempre foram um obstáculo para os governos pagãos; eis a razão pela qual a besta humana não vai tolerar qualquer forma de adoração senão à sua imagem. Ele tentará os judeus e cristãos fabricando uma imagem de idolatria; será a única forma para justificar uma perseguição contra os servos do Senhor Jesus. Não pense o amigo leitor que será fácil para o Anticristo, pois sendo descendente de Ismael, ele será fortemente resistido pelos seus inimigos. Sobre Ismael, filho de Abrão, Deus disse que a mão dele seria contra todos e a mão de todos seria contra ele. O mesmo pode ocorrer com os seus descendentes, principalmente com o filho da perdição (Gn 16:10-12).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Adsensse